fbpx

Passou a vigorar esse ano a implantação da NFC-e em MG. Os contribuintes precisam ficar atentos aos prazos e às mudanças que estão vindo. Com todas as modificações, surgem també as dúvidas, e uma delas é: “como emitir a NFC-e”.

Diferente dos que muitos pensam, esse processo não é difícil. Afinal, essa mudança veio para facilitar a vida das pessoas. É preciso ficar atento ao passo a passo, e você não terá problemas.

Uma maneira prática para emitir a NFC-e é usar a ferramenta ERP. Ela é um ótimo suporte e é sobre isso que vamos comentar nesse artigo.

Sobre a implantação da NFC-e em MG.

A implantação da NFC-e em MG começou em janeiro desse ano (2019) e  os devidos estabelecimentos devem ficar atentos aos prazos.

O objetivo do governo, é que até janeiro de 2020, todos os estabelecimentos estejam emitindo a NFC-e.

Essa mudança vem para facilitar a vida dos contribuintes e deixar esse processo mais informatizado.

A implantação da NFC-e em MG, proporciona várias vantagens:

  • Dispensa impressão (mas ela pode ser opcional e pode ser usada por qualquer impressora);
  • O documento fica armazenado digitalmente na nuvem;
  • Economia e sustentabilidade;
  • Registro digital da venda é feito no momento da emissão.

Se você ainda não saber sobre as datas para a implantação da NFC-e em MG, acesse o nosso link. Aqui no site, você encontra muitas informações sobre as datas e esclarece suas dúvidas sobre a NFC-e.

 

Passo a passo para emitir a NFC-e

Para emitir a NFC-e é preciso que você se certifique que possui os requisitos básicos para emissão, sem eles não é possível dar continuidade ao processo.

Veja quais são os requisitos e se certifique que está tudo em ordem:

  • Certificado digital de Pessoa Jurídica no padrão ICP-Brasil (nele deve conter o número do CNPJ de qualquer dos estabelecimentos do contribuinte);
  • A inscrição estadual deve estar regular;
  • Ter computador com conexão à internet;
  • Impressora comum;
  • Programa emissor de NFC-e;
  • Ter credenciamento na SEFAZ (que dá permissão para emissão);
  • Possuir o código de Segurança do Contribuinte (CSC token). Ele é fornecido pela SEFAZ no ato do credenciamento.

Como Emitir a NFC-e

 

Explicando melhor sobre os requisitos básicos:

Para saber como emitir a NFC- e, é preciso entender o porquê são importantes ter esses requisitos básicos. Para te ajudar, listamos um breve resumo sobre os requisitos. Por que esses requisitos são importantes?

Certificado digital:

É ele que garante a autenticidade da NFC-e emitida pela sua empresa. Caso você ainda não possua, pode adquirir junto com a Autoridade Certificadora.

Uso da internet:

Sobre o uso do computador, não tem segredo. Além da praticidade, a ideia é deixar tudo informatizado. E se você não tem um aparelho bom e a internet fraca, isso pode prejudicar sua empresa.

Impressora:

Falamos da impressora comum, pois a impressão da NFC-e é facultativa, ou seja, não é obrigatória. Mas caso precise, ter a impressora por perto é importante. Você pode utilizar uma impressora a laser ou térmica, sem restrições.

Programa emissor da NFC-e:

A empresa que precisa emitir a NFC-e deve ter uma solução adequada à sua necessidade. Para isso é preciso escolher um programa apropriado que se encaixe às necessidades da empresa.

No mercado existem muitos programas, mas aqui nós vamos citar o ERP como ferramenta que pode te ajudar. Com o software ERP é possível emitir diversos documentos fiscais (NF-e e NFC-e), como: vendas, estoque e financeiro.

Utilizando essa ferramenta, o processo fica muito mais simples e rápido, agilizando o funcionamento da sua empresa.

Com o uso do sistema ERP, é posível ter muitas vantagens, como:

  • Otimização da gestão da empresa;
  • Redução de erros;
  • Otimização de tempo;
  • Segurança;
  • Diminuição de gastos;
  • Melhora na administração;
  • Armazenamento de dados;
  • Facilidade no controle financeiro.

 

Credenciamento SEFAZ:

Sem o credenciamento não é possível emitir a NFC-e, é ele que dá a permissão necessária.

Para fazer o esse credenciamento, você pode acessar o site da Secretária da Fazenda e Planejamento. Lá você encontra o passo a passo para fazer essa etapa.

Código de Segurança do contribuinte:

Esse é um código alfanumérico de acesso exclusivo do contribuinte e da SEFAZ. Esses códigos são únicos para a empresa.

Ele é fornecido ao contribuinte no momento da adesão do deferimento do pedido de acesso.

 

O que mais você precisa saber sobre como emitir a NFC-e:

Em caso de falha na comunicação:

Com a emissão de NFC-e é preciso ter uma boa comunicação de internet. Mas em caso de queda da internet, você pode emitir a NFC-e pelo modo off-line.

É preciso guardar a nota?

Com essa mudança, não é preciso ficar imprimindo comprovantes e guardá-los nas gavetas. Com esse novo processo, você pode deixar tudo armazenado no computador, ou na nuvem.

 

Mais informações sobre a NFC-e

Esperamos que a implantação da NFC-e  venha para melhorar e muito o ambiente dos negócios. Com toda a novidade, é comum ficar com dúvidas. Mas essa é uma ótima opção para todos os lados.

Você pode esclarecer essas e outras questões. Leia também sobre os prazos para a implantação da NFC-e, e se sua empresa precisa aderir.

Deixe aqui seu comentário